8 de setembro de 2010

Em seu lugar

Aí está mais um livro que inspirou um filme que eu ainda não assisti. Comprei o pequeno tijolo (é um livro grande, com letras grandes, tamanho normal - não pocket) porque o preço estava ótimo e chick-lit é sempre bom para distrair. Valeu a pena - diversão fácil.
Embora os personagens do livro não sejam descritos como a Cameron Diaz e a Tony Collete, é claro que a capa ajuda a "personificar" os personagens. A história é sobre duas irmãs muito diferentes, uma advogada séria e outra louquinha que não para em emprego algum, sendo que a primeira (mais velha, claro) ajuda sempre a segunda a escapar de várias enrascadas financeiras e até de bebedeiras públicas. O rompimento acontece quando a mais nova, de pura pirraça, seduz o namorado da mais velha, e os dois são flagrados na cama, óbvio.
Aí aparece uma vó com complexo de culpa, porque, depois da morte de sua filha (mãe das garotas), ela se afastou das netas.
Depois de vários contratempos, tudo acaba bem - claro, era isso que todos nós queríamos lendo o livro!
Ele não é muito bom ou muito divertido, mas como eu já disse, diversão fácil.
Gostei muito de um dos poemas que uma das irmãs recita para a outra, e transcrevo aqui - quem tem irmã, sabe como amor de irmã é especial...

Carrego seu coração comigo
(eu o carrego no meu coração)
nunca estou sem ele
(onde quer que eu vá, você vai, minha querida;
e o que quer que seja feito po mim
é feito por você, querida)

Não temo o destino
(pois você é meu destino, minha vida)
não quero o mundo,
(pois você é meu mundo, minha adorada)
e você é o que a lua sempre significou,
e o que o sol sempre cantou.

Aqui está o segredo mais profundo que ninguém sabe

(aqui está a raiz da raiz, o broto do broto
e o céu do céu de uma árvore chamada vida;
que cresce mais alta do que a alma pode ansiar
ou a mente pode esconder)
e aqui está o fenômeno que mantém as estrelas separadas.

carrego seu coração comigo (eu o carrego no meu coração)

E. Cummings (segundo a tradução do próprio livro)

4 comentários:

  1. lindo poema... tbm não vi esse filme não... mas como sempre, os livros são melhores, não?

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o filme. Gostei bastante.
    O poema é lindo...sabe que foi esse poema que a Abby fala para o Luka nos votos de casamento no episódio do ER.
    Acho lindo...
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O filme é muito engraçadinho, tipo sessão da tarde mas o amor entre as irmãs é algo para o horário nobre! Lindo poema. bjs querida!

    ResponderExcluir