27 de janeiro de 2021

Coisas escuras procurando a luz com dedos finos cheios de ervas: Uma história de amor e cinzas

 


Eu procurei um livro de Vicente Franz Cecim por indicação da Anita Deak do Podcast Litterae (que é maravilhoso!) e esse está disponível no unlimited da Amazon.

É um livro poético, para ir pensando e descobrindo significados. É bonito, mas não me encantou. Bem rápido de ler, pois são poucas frases e os espaçamentos fazem parte da narrativa.


25 de janeiro de 2021

The Girl in the Tree

Editora Amazon Crossing

Foi realmente difícil ler "A Garota na Árvore" inteiro. A narrativa é em primeira pessoa e a garota fica pulando do presente para diferentes episódios do passado, tornando a história confusa e cansativa.

O começo é interessante - principalmente por mostrar a vida contemporânea da Turquia, que não estamos acostumados a ler aqui no Brasil - mas o meio se arrasta e, no final, parece que a autora Sebnem Isigüzel cansa e acelera a quantidade de informações jogadas para dar um fechamento, para terminar o livro logo.

A garota fica choramingando a história toda que a professora de literatura falou mal do jeito que ela escreve, que ela merecia mais, mas realmente ela usa mal esse recurso de criar tensão por interrupção e fragmentos do passado.

A avó da garota, as tias, a mãe e as duas amigas são bem mais interessantes que ela, e olha que ela foi morar em cima de uma árvore.

14 de janeiro de 2021

A cidade dos cinco ciprestes

 

Editora Global

O livro "A cidade dos cinco ciprestes" de Mariana Colasanti reúne cinco histórias curtas, que começam com o mesmo mote (parecido com conto de fadas), mas tem finais inesperados e bem diferentes em cada caso.

É muito bem escrito e interessante, mas pela descrição da editora, eu esperava algo mais elaborado e não tão curto.

7 de janeiro de 2021

Em um bosque muito escuro

Editora Rocco

"Em um bosque muito escuro", de Ruth Ware, temos mais um livro de uma narradora pouco confiável, e mortes num contexto com os personagens isolados. Deve ter uma fórmula publicada por aí, mas achei esse livro fraco e forçado. Saudades da Agatha Christie que construía a trama de forma a nos enganar e nos deliciar. Para quem gosta de livro de entretenimento de suspense, é uma boa.

 

6 de janeiro de 2021

A primeira dama da Reforma

 



Um livro muito muito muito ruim. Todo feito de conjecturas, baseado em pouquíssimos dados históricos. Há alguma informação de contexto histórico da sociedade da época, mas é difícil de dizer o que é real e o que é baseado na imaginação - fértil - da autora.