20 de janeiro de 2018

Short Stories from Hogwarts of Power, Politics and Pesky Poltergeists

Editora Pottermore

Nesse outro pequeno livro publicado pela J.K. Rowling, "Shorts Stories from Hogwarts of Power, Politics and Pesky Poltergeists", o maior foco é realmente em política, tendo uma lista de todos os Primeiros Ministros da Magia. É interessante como ela promoveu diversidade - há mulheres no poder - boas e más - e ainda "conversou" com a história política real da Inglaterra, como por exemplo nos períodos de I e II Guerra Mundial.

Há uma pequena nota no final a respeito do Poltergeist favorito da galera, Pirraça, e como ele se relaciona com as autoridades ao seu redor - a bagunça e desobediência não deixa ser uma forma de poder não oficial que ele tem mesmo, mas que é possível ser limitada por pessoas de respeito (e eu vejo muito da relação de criança e pais nisso, hahahaha).

12 de janeiro de 2018

Matilda

Editora WMF Martins Fontes - Capa Katia Harumi Teresaka

Nos últimos anos, a editora WMF Martins Fontes tem feito o favor de publicar novas edições dos livros de Roald Dahl, muito bonitas, e que está trazendo esse autor para as prateleiras de livrarias no Brasil. A princípio, poucos podem conhecer o nome dele, Roald, não Ronald, filho de noruegueses, criado no país de Gales, mas muitos já viram filmes adaptados de suas obras, como A Fantástica Fábrica de Chocolate, James e o Pêssego Gigante, Matilda, e mais recentemente, O Bom Gigante (há outros, eu sei).

Acontece que eu só fui ler livro dele agora, comecei com "Matilda" e, gente, é demais! Uma escrita gostosa, uma história interessante, personagens muito engraçados. Mesmo se você conhece o filme, que é bem fiel, vale a pena ver ela assim, descrita em palavrinhas, como o autor imaginou.

Quero ler todos, quero ter em casa todos para minhas filhas lerem. Nada como boa literatura infantil!





9 de janeiro de 2018

O Projeto Rosie

Editora Record

Um livrinho bonitinho estilo férias e disponível no unlimited: O Projeto Rosie, de Graeme Simsion. Nesse chick lit, o protagonista é um professor de genética com quase quarenta anos, Don Tillman, tirando o foco da estrutura tradicional desse tipo de livro - que geralmente foca nas meninas. É claro que a Rosie do título também é importante, mas o livro é todo do ponto de vista dele, que tem realmente algum tipo de espectro autista. Ele parece com o Sheldon de Big Bang Theory, mas ele transgride muito mais facilmente suas próprias regras - é a estratégia do autor para mostrar o quanto o personagem está apaixonado, mas ficou parecendo "fácil demais" para mim.

É daqueles livros que não dá vontade de parar de ler, mesmo sabendo o final, mas não é tão cativante a ponto de querer ler a continuação. Aproveitem esse!

3 de janeiro de 2018

Snow Hunters

Editora Simon & Schuster - Capa Christopher Lin
O começo do ano trouxe um livro de autor americano sobre um personagem coreano que emigra para o Brasil. Eu achei a história toda muito curiosa, em que o Yohan encontra pessoas como Peixe, Bia e Santi numa cidade portuária não identificada.

O livro mostra uma visão bem delicada de quem emigra para cá de uma cultura tão diferente, sem se limitar a isso. É a história particular de Yohan, esse homem quieto, que foi prisioneiro de guerra, assume uma alfaiataria, e seu caminho de reconstrução de relacionamentos.

Não é uma história longa (mas confesso que demora um pouco para se familiarizar com o texto), e essa edição digital original, há um comentário do autor sobre o livro no final, o processo de criação da história, e um pouco até de interpretação do texto, o que, para mim, enriqueceu muito a leitura.

"Caçadores de Neve", de Paul Yoon, ganhou um prêmio internacional, mas ainda não foi publicado aqui no Brasil, e acho que dificilmente vai ser.

31 de dezembro de 2017

Top 2017

Ficção

  • The Awakening - Kate Chopin
  • O Caminho Estreito para os Confins do Norte - Richard Flanagan
  • Gone with the wind - Margaret Mitchell
  • Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios - Marçal Aquino
  • O Tribunal da Quinta-Feira - Michel Laub
  • Landline - Rainbow Rowell
  • Everything I never told you - Celest Ng
  • Lavoura Arcaica - Raduan Nassar

Não Ficção
  • Mulheres Visíveis, Mães Invisíveis - Laura Gutman
  • The Feminine Mistake - Leslie Bennets
Cristãos
  • Encontros com Jesus - Tim Keller
  • Relationships - a mess worth making - Timothy S. Lane e Paul David Tripp



Estatística 2017

Esse ano, dois fatores me ajudaram a ler mais: uma competição amigável com uma amiga (ela ganhou de lavada com mais de 100 livros lidos), e a decisão deliberada de ler ao invés de fazer outras coisas (nominalmente: ver redes sociais e assistir TV). Para mim, isso funcionou tanto pelo fato de ter a satisfação de atingir metas ousadas de leituras, como de usar os livros como distração e entretenimento (sabendo escolher os livros certos para cada momento, claro).

Em números:

- 71 livros lidos
- 21473 páginas (em média, são 59 páginas por dia, e livros de 301 páginas. Gostei dessa nova estatística)
- 12 livros brasileiros
- 47 livros lidos no idioma original (português e inglês)
- 52 livros digitais (dispositivo kindle e aplicativo no celular)
- 40 livros escritos por mulheres (não é algo forçado, eu realmente acabo lendo mais livros de autoras)
- 35 livros em português, 36 livros em inglês (salve promoções da Amazon)
- 52 livros do presente século

Considerando meu histórico de blog:


Esse ano, eu percebi que é muito bom ler livros que já ganharam prêmios (mais do que simplesmente ler uma lista de livros que a população em geral acha bom), então expandi minhas metas para envolver os principais prêmios internacionais (a partir de 1983 somente, e sem limite temporal). Ainda estou pensando se incluo algum prêmio brasileiro ou de língua portuguesa, aceito sugestões.


Olhando assim, eu li muito, mas não muito focada nas metas - espero que 2018 seja melhor para isso.

Com relação a quantidade, eu espero continuar lendo pelo menos 1 livro por semana, o que é bem razoável.

Feliz ano novo cheio de livros para vocês!




30 de dezembro de 2017

Lavoura Arcaica

Editora Companhia das Letras - Capa Ettore Bottini

Poucos conhecem o autor Raduan Nassar - mas quem o conhece, o elogia. Mesmo com o filme de 2001, acredito que poucos tenham lido o texto original da década de 1970 que o inspirou - Lavoura Arcaica. 

O livro não é longo, mas é denso: tanto pela linguagem (um discurso no fluxo do pensamento, com muita imagem figurada), como pelo assunto - um filho pródigo invertido, como o autor explica no final, com segredos bem incômodos e que ainda são tabu (numa época de exposição e caminho para tolerância e aceitação, algo ainda ser tabu quer dizer muito).

Eu fui impactada pelo livro - é algo impressionante e bonito, toda a construção da ideia como a execução, embora, obviamente para quem já leu, é bem difícil de digerir. Consigo entender porque o autor é admirado e pouco conhecido.