16 de outubro de 2017

O chamado do anjo

Editora Verus - Capa André S. Tavares da Silva

O começo de "O Chamado do Anjo" é meio besta: duas pessoas completamente diferentes (um homem e uma mulher) trombam no aeroporto de Nova York, deixam cair algumas coisas, e acabam trocando de celular. Elas só percebem que fizeram essa troca quando chegam em seus destinos: Paris e São Francisco. Aí começam a fuçar nos celulares - porque obviamente não há senha, nem bloqueio de tipo algum e ficam curiosos a respeito do outro - talvez uma atração incipiente e começam a trocar mensagens e ligações.

Eu achei super hiper mega blaster forçado esse início, mas é claro que tem mais coisa relacionando os dois personagens - que cruzaram ali por uma forcinha a mais do destino - e aí a trama muda para um suspense eletrizante com crimes, quadrilhas, assassinatos e perseguições - tudo o que franceses gostam (histórias policiais).

Resumindo, é forçado e violento - não tenho muita vontade de ler outras coisas do mesmo autor, Guillaume Musso, mas para quem gosta da temática, pode aproveitar: está no unlimited do kindle.

15 de outubro de 2017

Holes

Editora Yearling Books - Capa Brandon Dorman

"Holes" é um livro de Louis Sachar que virou o filme "O mistério dos escavadores" (embora o título do livro traduzido tenha se mantido "Buracos"). Como usual, eu não assisti o filme da Disney, mas gostei do livro. É uma história simples e bem amarrada de um garoto, cujo antepassado precisou de ajuda de uma cigana e não cumpriu sua parte no acordo, então foi perseguido por uma má sorte que passou de geração em geração. Aliás, é por isso que ele foi detido por um roubo que não cometeu e enviado para um "acampamento" ou "reformatório" com outros garotos cuja única função é fazer buracos num deserto o dia todo.

A história tem muitos flashbacks, para ir amarrando as tramas do que está acontecendo "agora" e o que aconteceu no passado dos personagens, e eu realmente gostei de como isso deixa tudo mais interessante, a ponto de irmos apostando o que vai acontecer em seguida, qual outro arco irá ser fechado entre passado e presente. Não é nada muito complexo também, nada de tramas intricadas, é um livro infanto-juvenil que estava na lista dos livros preferidos da enquete da BBC e por isso parou na minha lista de leitura e valeu a pena.

Atenção: no kindle unlimited há a versão do roteiro - rimado, inclusive - mas o livro original é em prosa.

8 de outubro de 2017

The Birthday Girls

Editora Poolbeg Press
"The Birthday Girls" (não encontrei edição traduzida) é um livro sobre 4 amigas de infância na Irlanda que chegaram aos 39 anos e se reúnem em Miami para comemorar o que é o último aniversário de todas (já que uma delas se recusa a fazer 40 anos, então vai passar a ignorar a data no próximo ano). Depois da infância, elas passaram por histórias bem diferentes - a que engravidou e casou cedo e já tem filhos adultos, a que virou atriz, casou e descasou várias vezes e está passando por uma crise com vício em álcool e remédios, a workaholic sem relacionamentos, e a artista que passou por uma tragédia e está num relacionamento estável pensando em casar.

O livro é bem simples - dá para ir adivinhando o que vai acontecer - mas o que eu achei curioso é que a autora Pauline Lawless às vezes apresenta as personagens como muito velhas, que não conseguem lidar com novas tecnologias ("melhor dar um computador para a fulana, ela não vai conseguir usar um tablet") e às vezes como jovens com corpo sexy (todas possuem corpos esculturais, umas mais outras menos, mas ninguém sofre com peso acima do normal), prontas para aventuras amorosas com desconhecidos. É claro que um livro desses - fácil - não pode dar muita profundidade para os personagens, mas eu sinto que houve exageros demais que o deixa artificial.

De qualquer maneira, foi curioso ler um "chick lit" com mulheres mais velhas.






3 de outubro de 2017

Harry Potter - The complete collection

Editora Pottermore - Capa Olly Moss

Olha o Harry Potter aqui novamente! Reli todos os livros, pela primeira vez em inglês, na versão digital. Continuam tão bons como aquelas memórias afetivas de bolo feito pela mamãe no lanche da tarde.

1 de outubro de 2017

A lista de Brett

Editora Verus - Capa Arrow Books

A lista de Brett: livrinho fácil de ler, com aquele final feliz encomendado, com empoderamento feminino e príncipe encantado. Nessa história, a mãe de Brett, que criou um império de cosméticos, falece e ao invés de promovê-la a presidente, deixa no seu testamento uma lista de sonhos a realizar (que a própria filha escreveu aos 14 anos) para que possa receber a parte do dinheiro que lhe é devida.

Para dar uma filosofada, a autora Lori Nelson Spielman coloca foco no que a gente abre mão de ser e fazer por causa do dinheiro, e como isso pode estar relacionado com uma tristeza intrínseca e falta de realização pessoal.

Mas esse livro é para ler de passatempo mesmo, não é de filosofar não! (E está no kindle unlimited.)

30 de setembro de 2017

After Disasters

Editora Little A - Capa Emily Mahon

Depois dos recentes furacões e terremotos, e com ajuda de vídeos e fotos que circulam o mundo em um instante, estamos bem familiarizados com imagens de desastres. No entanto, eu espero que a maioria de nós não faça parte de um, ou que consiga sobreviver caso se encontre em uma situação de risco dessas.

No livro, "After Disasters" (Depois de desastres), o autor Viet Dinh escolheu as pessoas que primeiro respondem a um desastre - equipes de emergência, de resgate, médicos locais - para povar um romance de humanidade tão latente, que é impossível não se envolver com os dramas pessoais deles.

O ponto de partida é um terremoto na Índia, mas a história vai e vem no tempo com os personagens, para que seja possível entendê-los. Os personagens principais são quatro homens: Ted, um americano que recentemente se tornou membro de um time de resposta a desastre, Piotr, um colega com mais experiência, Andy, um jovem bombeiro inglês e Dev, um médico local. De diferentes origens e funções, as histórias deles se cruzam no meio do caos de um terremoto que traz caos e desespero para o local.

É um ótimo livro, tanto por sem bem estruturado como por trazer a baila temas relacionados a vida e morte muito além da situação que retrata, mostrando pessoas profundas e complexas. Não encontrei informações sobre tradução em português, mas o texto original está no kindle unlimited.

26 de setembro de 2017

Machamba

Editora Nova Fronteira - Capa Danilo Perrotti Machado

Machamba ganhou o I Prêmio Kindle de Literatura, no ano passado. Depois do prêmio, Gisele Mirabai publicou o seu livro com uma grande editora. No entanto, basta ver os comentários na própria página da Amazon para ver que é um livro controverso, já que o "povo" está fazendo muitos comentários ruins.

Eu li o livro antes de ver essa questão dos comentários - e posso afirmar que não fui influenciada a dizer que não gostei. Aliás, pensei em desistir de tão ruim que eu achei, mas não o fiz porque 1: era um livro pequeno, 2: assim poderia fechar a resenha no blog com essa minha opinião (eu não incluo aqui livros não terminados).

A partir daqui, há spoilers.

A autora usa uma linguagem que lembra sim Guimarães Rosa, mas muito piorado, para contar a história da garota que sai de Minas Gerais depois de um tipo de trauma (a história vai e volta no tempo e a superação desse trauma faz parte da trajetória de redenção dela). Há muitas cenas de sexo para mostrar a desconexão de sentimentos da protagonista, mas eu fiquei com a impressão de ser algo forçado, ali para tornar a narrativa moderna e ousada. Por fim, a pessoa sai da Inglaterra, passa por Grécia, Turquia, Israel, assim, só com um cartão de crédito no bolso e uma explicação lá pelas tantas (para manter a verossimilhança, suponho), que ela já tem um passaporte europeu herdado de não sei quem (essa é a parte Comer, Rezar, Amar).

Achei o livro artificial, um recorte do que a autora achou que ia ser considerado uma boa mistura de referências. Não recomendo mesmo. Agora é a última semana para inscrição para o II Prêmio Kindle de Literatura - vamos torcer para sair algo melhor esse ano.