20 de agosto de 2011

Um ônibus do tamanho do mundo

Editora Nova Fronteira - Capa: Ulrik Schramm

Esse livro eu encontrei na casa de um amigo e não resisti pegar para um momento nostálgico da minha infância. Tudo bem, ele não vai sentir falta... Além de estar em Altamira, ele tem bem mais de 20 anos.

Na capa do livro diz "Mais uma comovente história de jovens para os jovens, do mesmo autor de É proibido chorar." Por partes: os jovens aqui são bem jovens - 9 anos, no máximo. A história sobre um ônibus com 20 crianças indo para uma temporada de férias que tem o seu caminho interrompido por uma avalanche e não podem nem ir para frente ou para trás, embora queira trazer conceitos de convivência social típica do mundo dos adultos, não impressionaria os adolescentes de hoje. O autor em questão, o austríaco J.M. Simmel, pode não ser mais conhecido hoje, mas foi muito famoso nas décadas de 50 e 60, escrevendo para adultos também. Tenho certeza que também li o citado É proibido chorar, mas realmente não me lembro de detalhes.

O que eu mais gostei nesse livro foi a simplicidade com que foi escrito, com direitos a comentários do autor: "É um estranho começo para uma história, não acham? Mas a história em si também é estranha e por isso talvez deva ter um começo estranho." Eu acho muito simpático quando o autor se manifesta dessa maneira, numa história em 3a pessoa, parece realmente que ele procura um interlocutor pessoalmente.

Também é interessante por se tratar de outra época, e isso é notado por pequenos detalhes: uma mãe que pede para que leve o carneiro de estimação no ônibus porque alguém da família estará esperando na cidade de chegada, então ir com as crianças seria o mais prático, ou o fato do lanche ser composto por sanduíches, chocolates e ovos cozidos, ou ainda por uma delas ter difteria - uma doença tão rara hoje em dia, com tanta vacinação, que eu mal sabia que os sintomas iniciais parecem de uma gripe muito forte (e só no final do livro que todo mundo que entrou em contato com o garotinho também é vacinado).

Gostei de entrar no túnel do tempo e ter um momento nostalgia com esse livro... E vocês? Quais livros lhe transportam para a sua infância?

14 comentários:

  1. Meu universo era bem menor que o seu, mas, vamo-lá
    Os clássicos infantis, que eu chorava muito quando ouvia as estórias, Meu Pé de Laranja Lima, Eramos Seis e outros que certamente vou me lembrar com o passar dos dias...bjs te amo

    ResponderExcluir
  2. Acho que o livro que eu mais gostei na infância foi "O incrível caso da múmia que falava francês". Uma história de detetive que tinha uma frase que eu nunca mais vou esquecer> "A morte tem cor de creme de milho"!
    Tem como não amar!?

    ResponderExcluir
  3. Os livros q mais lembro da minha infância foram " uma noite no circo", "na praia" e " na floresta"... Linda coleção com ilustrações vazadas em q cada pagina fazia parte de um cenário maior! Lembro do dia q ganhei e me encantei! Mas o meu Preferido era a bela e a fera, q era inglês, eu entendia e ainda copiava as ilustrações com papel vegetal! Agora a mamãe veio falar q eu adorava o Ziraldo e as piadinhas do bichinho da maçã! Taci, minha irmã, acompanho sempre seu blog e adoro! Tenho mto orgulho de vc! Te amo! Bjos

    ResponderExcluir
  4. O Mundo da Criança, de longe foi o primeiro livro que li, reli, li de novo... Na verdade era uma coleção que continha livros como: Musica para crianças, Contos de fadas,Biografias, etc, etc... Consegui um exemplar de uma edição um pouco mais recente que a da minha época mas parece que não é a mesma coisa!

    ResponderExcluir
  5. Acabei de descobrir que a Ed. Delta fez uma versão digital para o Mundo da Criança. É pago mas tem uma visita gratuita! Tô me divertindo!! hehe bjs <><<

    ResponderExcluir
  6. Caracas, os meus livros da infância são os mesmos da minha mãe!!! O Mundo da Criança realmente foi TOP, principalmente os exemplares sobre como as coisas funcionam e o "fazendo e brincando" que de tanto ser usado (porque lido não é bem a palavra certa) estava até desmontando a capa...

    Gostava muito também de uns livros de enigmas, aqueles que dependendo da sua resposta vc ia pra uma página e depois voltava e assim por diante. O livro tinha vários finais diferentes...

    ResponderExcluir
  7. meus livros top da infancia são: "Marcelo, marmelo, martelo", "O menino maluquinho", uma coleçao de historias infantis que tinha um holograma na capa (desses o meu preferido era "A pequena vendedora de fosforos") e tinha uma coleção da minha vó paterna com contos do folclore brasileiro (Mula sem cabeça, curupira, etc).

    ResponderExcluir
  8. Minha tia leu esse livro para mim e para meus irmãos, quando éramos crianças - lembro-me dele até hoje! :-)

    ResponderExcluir
  9. Vieram lagrimas nos olhos ao lembrar-me de "Um ônibus do tamanho do mundo" de J.M.Simmel.

    ResponderExcluir
  10. Li, há muitos anos, "É proibido chorar" - "Nem só de caviar vive o homem". Livros de JM Simmel. Sensacional Escritor. As histórias dos livros acontecem, geralmente, durante a 2ª guerra mundial. Recomendo a todos.

    ResponderExcluir
  11. Acho que um escritor que representou bem a infância/pré-adolescência dos anos 70/80 foi o saudoso Marcos Rey! Tenho "Sozinha no Mundo" até hoje em minha estante.

    ResponderExcluir
  12. como não amar Simmel e seu ônibus...como foi bom relembrar a infância!!!

    ResponderExcluir
  13. Um dos melhores livros que li quando criança. Muito bom.

    ResponderExcluir
  14. Eu também li quando jovem, Um ônibus do tamanho do mundo, e agora indico ao meu filho de oito anos que adorou! Essa é uma das magias dos livros!

    pontovirgulatravessao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir